INSTALANDO UM SERVIDOR WINDOWS SERVER 2012R2 – SERVER CORE

lOGO

A Microsoft disponibilizou em seu site, o link para download da versão Preview do Windows Server 2012 R2.  A licença do produto irá expirar somente no dia 15 de Janeiro de 2014, possibilitando aos profissionais da área de TI um bom tempo para começar a se familiarizar com as novas funcionalidades.

Para os que estiverem interessados, segue o link para a realização do download:

http://technet.microsoft.com/pt-br/evalcenter/dn205286.aspx

Este artigo visa auxiliar no processo de instalação do Windows Server 2012 R2 utilizando o método de instalação Server Core.

Para aqueles que não estão familiarizados com a utilização do Windows sem interface gráfica, segue algumas dicas para te auxiliar a compreender a necessidade de utilizarmos um servidor Server Core:

  • Redução do consumo de espaço em disco
  • Reduz a superfície de ataque ao servidor
  • Diminui em até 60% o número de updates e ações técnicas que exijam eventuais paradas nos   serviços.

Estes simples argumentos já são quase suficientes para não descartarmos este tipo de instalação. Além do mais, podemos efetuar o gerenciamento deste servidor a partir de outros equipamentos com interface gráfica. O Função de Active Directory por exemplo, pode ser administrada de uma estação de trabalho comum com o RSAT instalado.

Como ressalva, vale lembrar que a versão Server Core não suporta algumas funções como ADFS, Application Server, NPAS e WDS.

CENÁRIO

Vou instalar uma máquina virtual do zero através do System Center Virtual Machine Manager 2012. Utilizarei a ISO do Windows Server 2012 R2, que adicionei a minha biblioteca do VMM.

Em meu ambiente, possuo um Cluster de Hyper-V com 2 hosts utilizando o Windows Server 2012. Disponibilizei um volume compartilhado (Storage) para alocar minha máquina virtual.

INSTALAÇÃO DA MAQUINA VIRTUAL

Vou criar a máquina virtual utilizando o SCVMM, para os que não possuem o produto a instalação pode ser executada diretamente através da função do Hyper-V ou obviamente a partir de uma máquina física (neste caso, você pode ignorar os primeiros 10 passos do procedimento a seguir).

Passo 1

Dentro de VMS e Serviços, posso visualizar o Cluster que adicionei ao SCVMM. Com um clique inverso sob o ícone, acesso a opção “Criar Máquina Virtual” situada no menu suspenso.

01

Passo 2

Na janela seguinte, vou criar uma nova máquina virtual

02

Passo 3

Nesta janela vou preencher o nome da máquina virtual e uma breve descrição sobre a sua funcionalidade.

03

Passo 4

Nesta etapa, efetuaremos a configuração do hardware da máquina virtual.  Estou customizando este equipamento com apenas 1 processador, 2GB de memória RAM (O requisito mínimo é de 512 MB), um único disco com 40 GB.

Configurei algumas opções especiais que me permitem utilizar um comutador virtual e alta disponibilidade (para permitir recursos como Live Migration). Mas volto a frisar que estes adicionais se aplicam ao SCVMM e nada impactam para a simples instalação do sistema operacional.

04

Importante lembrar que nesta janela devemos apontar dentro da opção “DVD” a imagem ISO que já deve estar adicionada a nossa biblioteca.

04_1

Passo 5

Irei criar esta máquina virtual apontando para o grupo “Todos os Hosts”

05

Passo 6

Nesta etapa seleciono o host que apresentar a melhor performance para hospedar esta máquina virtual

06

Passo 7

Nesta etapa apontei a localização da máquina virtual para uma unidade dentro de meu Storage, e aproveito para revisar as configurações deste equipamento.

07

Passo 8

Selecionamos o sistema operacional (neste caso ainda não possuímos na base do SCVMM a versão do Windows Server 2012 R2).

08

Passo 9

Após estas etapas, confirmamos as configurações e finalmente clicamos no botão “Criar”

09

Passo 10

Pelo SCVMM podemos acompanhar a execução da criação da máquina pela janela de “Trabalhos”. A tarefa “Criar máquina virtual” apresentará uma barra de progresso informando o status da atividade.

10

Passo 11

Agora iremos finalmente iniciar nossa máquina virtual. Para tal, com um clique inverso sob a mesma, selecione posteriormente a opção “Ligar” pelo menu suspenso.

11

Passo 12

Ao iniciar a máquina virtual já iniciaremos o processo de instalação do Windows Server 2012 R2.

12

Passo 13

Clíque em “Instalar agora”

13

Passo14

Nesta etapa colocamos a chave que foi disponibilizada no site da Microsoft

14

Passo 15

Nesta etapa da instalação, iremos selecionar a primeira opção “Windows Server 2012 Datacenter Preview (Instalação Server Core)

15

Passo 16

Aceitamos os termos de licença

16

Passo 17

Escolha a opção personalizada

17

Passo 18

Selecione o disco e clique em “Avançar”

18

Passo 19

Aguarde o processo de instalação. A máquina irá reiniciar ao concluir esta etapa

19

Passo 20

Ao reiniciar o sistema operacional vai iniciar a preparação dos dispositivos.

20

Passo 21

Concluída esta etapa, devemos alterar a senha do Administrador

21

22

Passo 22

A instalação foi concluída com sucesso. O prompt de administração do Server Core já está disponível para iniciarmos as primeiras configurações do servidor que criamos.

23

Configurações iniciais do Windows Server Core

Concluída a instalação, precisamos efetuar as configurações iniciais do servidor. Podemos realizar estas tarefas executando o Powershell, mas utilizaremos um arquivo de lote chamado SCONFIG para realizar esta tarefa.

No tela de Prompt digite “SCONFIG” e pressione a tecla Enter.

24

O processo de configuração fica bastante simplificado com a utilização do SCONFIG. Todas as opções ficam distribuídas em um menu bastante objetivo. Para iniciar o processo de configuração, basta selecionarmos o número desejado. Importante frisar que abordaremos somente as principais opções, para uma configuração inicial do servidor.

25

Opção 1 = Inserir Equipamento em Domínio ou Grupo de Trabalho

26

Em nosso exemplo, inseri o servidor em um grupo de trabalho. Para realizar a tarefa digitei a opção “G” e posteriormente digitei o grupo de trabalho.

27

Passados alguns instantes a máquina será inserida ao grupo desejado. Obviamente você pode utilizar o mesmo menu para inserir o servidor ao seu domínio.

28

Opção 2 = Nome do Computador

29

Através deste menu, podemos inserir o nome do equipamento. Neste exemplo adotei o nome SRV_SCORE2012R2. Ao concluir esta tarefa, receberemos uma mensagem para reiniciarmos o servidor. Esta ação é opcional. Podemos realizar todas as configurações básicas e reiniciar a maquina posteriormente.

30

Opção 4 = Configurar Gerenciamento Remoto

31

Através deste menus podemos customizar alguma regras que permitirão o gerenciamento remoto deste servidor a partir de outros equipamentos.

A opção 1, habilita o gerenciamento remoto.

32

A opção 3, permite customizar o Firewall do Windows para permitir que as demais estações da rede possam realizar o teste de “ping” com nosso servidor.

33

34

A opção 4, retorna para o menu principal.

Opção 7 = Área de trabalho remota

35

Esta opção nos permite habilitar o recurso de acesso remoto a este equipamento via mstsc.exe (Conexão de Área de Trabalho Remota)

Podemos habilitar este recurso com “Autenticação no nível de rede” ou liberando o acesso a clientes que executem qualquer versão da área de trabalho remota.

36

Após escolher a opção, você receberá a confirmação de sua escolha.

37

Opção 8 = Configuração de Rede

38

Para finalizarmos as configurações básicas do servidor, efetuaremos os ajustes em relação a rede.

Inicialmente recebemos as informações referente aos adaptadores disponíveis para configurarmos. Este adaptador está associado a um índice que utilizaremos como referência para estes passos.

39

Observamos que o endereço IP atribuído a nossa placa é um APIPA, (uma vez que neste ambiente de teste, não possuo um servidor DHCP para distribuir um endereço válido para minha máquina). O serviço de DHCP já vem previamente habilitado.

Por convenção de segurança normalmente não configuramos um servidor com IP dinâmico. Por conta disso iremos atribuir a este servidor um IP fixo.

40

A opção 1, nos permite através da letra “E”, definirmos um IP estático para nosso servidor. Posteriormente configuramos a máscara de sub-rede e nossos gateway padrão.

41

A opção 2, nos permite configurar os servidores de DNS (Principal e Alternativo)

42

43

Ao finalizarmos estas configurações, poderemos visualizar as modificações realizadas.

45

Através da opção “4” retornamos para o menu principal

46

Concluída as configurações podemos reiniciar o servidor utilizando a opção 13.

47

Após o processo de reboot, insira a senha de administrador (definida no processo de instalação)

48

Verifique posteriormente através do SCONFIG, que as atribuições de nome, grupo de trabalho e configurações de rede foram efetuadas com sucesso.

49

Para garantir o pleno funcionamento das configurações, efetue testes de conectividade com outro equipamentos de seu ambiente. Neste exemplo fiz um teste de ping ao servidor DNS que configurei nas propriedades de rede do servidor.

50

Demais Configurações

Existem outras opções dentro do SCONFIG que devem ser utilizadas posteriormente para efetuarmos eventuais correções de Data e Hora, para Ativação do Windows e para Baixar e Instalar Atualizações.

Explore mais estes recursos, utilize também o Powershell para instalar Funções e Recursos neste servidor.

Um ótimo canal para aprendizado é o Technet . Segue um link que pode complementar ainda mais seus estudos para se aprimorar na utilização da instalação Server Core.

http://technet.microsoft.com/pt-br/library/jj159461.aspx

Walter Teixeira

wteixeira.wordpress.com

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s